Conheça dicas para umidificar a sua casa

Conheça dicas para umidificar a sua casa

Falando de modo genérico, pode ser que o hábito de umidificar a própria casa pareça algo secundário, ou mesmo sem importância. Mas quando nos debruçamos sobre o assunto, percebemos que se trata de algo fundamental.

Aliás, falemos não apenas sobre nossa casa, mas também outros ambientes, como um escritório ou qualquer outra área de trabalho em que passamos boas horas do dia, às vezes muito mais do que em nossa própria residência.

Enfim, qualquer uma dessas edificações precisa manter uma certa umidade relativa do ar, que é como os especialistas da área chamam nada menos do que a relação entre o oxigênio e a quantidade de água existente ali, literalmente.

No fundo, embora se trate de um conhecimento eminentemente científico e acadêmico, você não precisa fazer todo um estudo hidrogeológico para identificar essa condição do ar em determinado ambiente ou cômodo em que estiver.

Inclusive, mesmo que você não entenda do assunto ou não preste atenção no entorno, essa questão vai impactá-lo do mesmo modo. Por exemplo, segundo dados da própria OMS (Organização Mundial de Saúde), há níveis a serem medidos.

No caso, se a umidade relativa ficar abaixo de 40%, qualquer ser humano entra em um nível emergencial de alerta, sendo que é o seu próprio corpo que começa a acusar que existe algo de errado naquela situação.

Mais ou menos como uma poluição do ar, que não exige que você seja especialista para começar a tossir, espirrar e, claro, se continuar exposto, desenvolver problemas respiratórios e todos os demais ligados ao problema.

No caso da umidade relativa do ar, taxas muito baixas podem desencadear diversos problemas de saúde ou de bem-estar. Por exemplo, aquela dor de cabeça que não passa pode muito bem estar ligada a isso, mesmo que você não saiba.

Às vezes a pessoa trabalha com algo industrial, como corte a laser chapa de aço, e não sabe a que atribuir um mal-estar desses. Tanto que esse tipo de empresas têm ar-condicionado e mecanismos para controlar a umidade do ar.

Mas eles precisam ser bem aplicados, ou não vão surtir o efeito desejado, além de que algumas corporações infelizmente não seguem os protocolos. Portanto, é preciso ficar de olho nisso também, cobrando sempre os devidos responsáveis.

Além da dor de cabeça ou da tradicional enxaqueca, podem ocorrer problemas ainda mais específicos, que também costumam ser atribuídos a outras causas. É o caso do ressecamento do nariz e da garganta, que compromete nossa respiração.

Algumas pessoas chegam a desconfiar de doenças como rinite, sinusite ou mesmo bronquite e outras ainda piores, quando na verdade esses sintomas típicos podem muito bem derivar da umidade relativa do ar. 

Outro ainda é o caso da irritação da pele ou dos olhos. Com o agravante de que, além de pensar que é um problema dermatológico, neste caso nossa reação costuma ser ainda pior, já que podemos acabar coçando e ferindo essas regiões do corpo.

Portanto, fica claro que cuidar da umidade relativa do ar em sua casa é algo tão importante quanto quaisquer outras preocupações, que ainda exige a coerência de fazer sempre esse esforço, sobretudo nas épocas mais quentes do ano.

Tal coerência equivale àquela de uma pessoa que, procurando formas de perder peso, precisa fazer acupuntura para emagrecer tanto quanto cuidar da própria dieta, mantendo hábitos saudáveis em sua totalidade, não só em um ou outro ponto.

Essa é precisamente a razão de termos escrito este conteúdo, como algo especialmente voltado para você conhecer as melhores dicas de como umidificar a sua casa, melhorando seu bem-estar, sua disposição e também sua saúde.

Naturalmente, tratar desse tema é algo que demanda uma melhor explicação sobre alguns conceitos e características que sustentam o tema. Sem isso, correríamos o risco de ficar apenas em abstrações e notas genéricas.

Além do mais, também é preciso dar exemplos práticos e ilustrativos, deixando bastante claro o que se pode esperar dessa prática no curto, médio e longo prazo. Assim, cada leitor apreende o sentido mais concreto da umidificação do ar.

No fundo, é como falar do uso de telas de proteção para janela ou de qualquer outro mecanismo de proteção e segurança residencial. Precisamos de algo como um manual para fazer bom uso, ou perderíamos tempo e dinheiro à toa.

Diante disto, se agora o seu interesse mais urgente é mergulhar de cabeça em dicas acessíveis que podem mudar consideravelmente a qualidade do ar da sua casa, e portanto da sua própria vida, então é só seguir até o fim da leitura.

O que é a umidificação?

Pode parecer estranho falar sobre a quantidade de água no ar, como fizemos acima, mas é exatamente disso que se trata, por meio de dispositivos tecnológicos de compensação.

Trata-se de adicionar umidade sem, no entanto, alterar a temperatura do ar. Ou seja, ele não vai ficar mais gelado por causa disso ou causar desconforto na hora de respirar, mas apenas ganhar em termos de funcionalidade e pureza.

Basicamente, a ideia de alterar o teor de umidade do ar por meio de máquinas é algo que surge no universo industrial, sobretudo quando estamos falando de empresas que lidam produção, transporte ou venda de alimentos e itens perecíveis no geral.

Em alguns casos, isso evoluiu tanto que já se trata de uma questão legal. Ou seja, certos segmentos e nichos são obrigados a atender essas exigências, tal como a de ter o número de suporte de extintor e de itens específicos em suas instalações.

Com o tempo, o recurso começa a migrar para um uso mais voltado para a saúde, o que hoje pode incluir diversas áreas e edificações, tais como:

  • Escritórios;
  • Residências;
  • Asilos;
  • Orfanatos;
  • Escolas.

Enfim, são vários os locais que podem se beneficiar dessa tecnologia, lembrando que em áreas industriais, empresariais no geral ou mesmo residenciais, ainda é possível programar alguns dispositivos para que interajam com o ambiente.

Ou seja, uma grande indústria que lida com extrusora aluminio precisa disso como parte intrínseca de sua cadeia produtiva.

Ou seja, o próprio aparelho que faz a umidificação também mensura o nível atual do ar, para que você não precise ficar de olho. Assim, os dispositivos vão funcionando sozinhos, de maneira consideravelmente prática e vantajosa.

Umidificando na prática

Lembra-se de nossas avós, que às vezes espalhavam toalhas molhadas pelo ambiente da casa durante a noite, ou mesmo bacias com água?

Então, elas estavam certas, pois esse recurso funciona e traz realmente todos os benefícios que temos descrito aqui. No caso, o balde com água pode ser fervente, logo que retirada do fogo.

Naturalmente, coloque fora do alcance de qualquer criança ou animal. Mas o fato é que, neste caso, o próprio vapor vai umidificar bem mais o ambiente.

Outra dica simples é tomar banho de porta aberta, sempre que possível. Esse conselho vale sobretudo para as famosas suítes, que são dormitórios que já contam com banheiro anexado.

Nesses casos, fica bem mais fácil manter a privacidade e, ao fechar a porta do quarto e deixar a do banheiro aberta, você ainda cria o ambiente perfeito para uma umidificação mais assertiva.

Por fim, mais uma forma natural de manter qualquer ambiente umidificado é investir em plantas. As que lidam melhor com ambientes internos incluem as samambaias, orquídeas, bromélias e suculentas no geral.

A tecnologia a seu favor

Não é possível falar sobre dicas para umidificar a sua casa sem citar os eletrodomésticos que foram criados justamente com essa finalidade.

Para começar, se você tem ar-condicionado e acha que ele não está dando conta, provavelmente é porque chegou a hora de higienizá-lo. Então, procure um profissional da área que isso já deve resolver boa parte do problema de umidificação.

Por mais limpa que seja sua casa, é natural que ele acumule sujeiras. Tanto que esse serviço tem se popularizado cada vez mais, então é fácil cruzar uma avenida e ver letras caixas com led na fachada de uma loja que pode ajudá-lo com isso.

Mas muitos preferem recorrer a um umidificador eletrônico. Há de todos os tipos e tamanhos, sendo que o funcionamento é o mesmo. Basta colocar água no devido compartimento e ligar, dando a devida densidade necessária.

Por que umidificar ambientes?

É preciso ressaltar que esta prática é ainda mais importante em dias mais quentes, pois são dias em que a umidade relativa cai muito e nos coloca em riscos.

Então, durante uma noite assim, é indispensável usar um dos recursos referidos acima. Isso é indicado para qualquer um, seja um esportista que tem seu próprio cardiologista para atletas ou alguém que só quer trabalhar bem no dia seguinte.

De fato, a umidificação evita resfriados e gripes. Além de manter nossa pele mais hidratada, o cabelo mais vigoroso e até mesmo reduzir o ronco, coisa que nem todo mundo sabe.

Considerações finais

Com isso chegamos ao fim, tendo falado tudo sobre umidificação do ar, desde os conceitos básicos até as práticas mais elaboradas ou mais acessíveis.

Assim, com as informações e os conselhos detalhados, você já pode manter sua residência muito mais segura e mais eficiente para todos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.