Ectoparasitas: o que são, perigos e as possibilidades de prevenção

Ectoparasitas: o que são, perigos e as possibilidades de prevenção

Conheça os riscos e como evitar problemas para a saúde do seu pet.

Tutores de animais domésticos precisam ter uma rotina de cuidados para evitar problemas com a saúde do pet. Isso inclui boa alimentação, passeios, hidratação, vacinas, remédios antipulgas e carrapatos e consultas regulares ao veterinário.

É justamente nessa rotina de passeios e no convívio com outros animais que há o risco de você encontrar ectoparasitas no pelo do seu pet. Para saber como lidar melhor com a situação, conheça mais sobre esses parasitas e como cuidar para que eles não acometam seu amigo de quatro patas.

O que são os ectoparasitas?

 

Os ectoparasitas são parasitas que vivem na superfície externa do hospedeiro, ou seja, na pele. Eles são diferentes dos endoparasitas, que precisam se alojar dentro do animal para cumprir sua função.

 

No caso dos ectoparasitas, eles conseguem se alimentar do sangue do hospedeiro através da parte superficial, estabelecendo uma dependência metabólica parcial. Eles se “enterram” na pele do cão ou gato e inserem o aparelho bucal para conseguir se alimentar. Os tipos mais comuns são bem conhecidos dos tutores: pulgas e carrapatos.

Quais os riscos desses parasitas para os animais?

Pulgas e carrapatos são bem comuns, principalmente em períodos mais quentes e úmidos. Exatamente devido a ser comum e frequente tais casos muitos tutores negligenciam o problema, o que é um grande erro e pode trazer riscos à saúde dos pets.

Então, se você tem cães e gatos em casa e viu que eles estão se coçando demais, fique atento! Claro que se coçar às vezes é normal, mas não o tempo todo.

Os riscos são maiores quando os animais saem muito, mas é importante saber que os ectoparasitas podem chegar à sua casa de várias formas. Os nossos sapatos, por exemplo, são grandes aliados desses parasitas para estes se locomoverem e chegarem até às residências e, posteriormente, à pele de cães e gatos.

No caso de pulgas e carrapatos, além de se coçar muito, é possível que o animal se infecte com a DAPE (Dermatite Alérgica à Picada de Ectoparasitas). Essa é uma doença alérgica de pele, que vem do agravamento das infestações dos ectoparasitas.

Mas não é só isso. Esses parasitas podem, ainda, transmitir verminoses e bactérias. Nesses casos, quando atingem os filhotes, podem resultar em casos graves de anemia.

Doenças comuns causadas por carrapatos

Quando falamos especialmente nos problemas gerados pelos carrapatos, a lista é um pouco maior e mais perigosa. Isso porque eles podem carregar doenças bacterianas e causadas por protozoários. Talvez o maior agravante seja que esses parasitas transmitem os problemas com muita facilidade para pets e seres humanos.

São duas as principais doenças causadas por carrapatos:

  • Babesiose: causada por um protozoário que destrói os glóbulos vermelhos e causa anemia severa no indivíduo afetado. Os sintomas são fraqueza, cansaço, falta de ar, febre, falta de apetite, perda de peso e crescimento da área da barriga;
  • Erliquiose: provocada por bactérias que alteram as células do sangue, causando anemia e baixa na quantidade de plaquetas. Os sintomas mais comuns são sangramentos pelo nariz, olho ou pele, emagrecimento, falta de apetite, cansaço e febre.

 

Como prevenir seu pet dos ectoparasitas?

 

Como vimos, é impossível saber onde e quando nossos pets vão ter contato com ectoparasitas. Pode acontecer tanto por excesso de passeios em locais públicos, onde há presença de muitos animais e mato, como também por conta de microrganismos que grudam em nossos sapatos e roupas.

 

Ou seja, é impossível prever quando levaremos esse risco para os pets. Uma dica interessante é sempre tirar os sapatos antes de entrar em casa. Em seguida, higienizá-los com produtos adequados.

 

Mas o mais importante é manter os remédios antipulgas e carrapatos em dia. Para saber a periodicidade de aplicação e quantidades, é preciso consultar um veterinário. É um procedimento simples, que pode ser feito em casa e que evita muitos problemas.

 

Então, na sua próxima ida ao consultório veterinário, conte a rotina do seu pet e peça as indicações necessárias. Prevenir ainda é o melhor remédio para evitar que seu pet sofra com os ectoparasitas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.