Como usar ácidos durante o verão?

Como usar ácidos durante o verão?

O uso do protetor solar é um dos cuidados que não pode ser negligenciado, principalmente nesse período.

O cuidado com a pele não é apenas uma questão de estética, mas também de saúde, já que o maior órgão do corpo humano é também o que está mais exposto à radiação solar, poluição, frio, calor, etc. Adotar os devidos cuidados diários é uma forma de mantê-la mais firme, bela e saudável por toda a vida.

Nesse sentido, um tipo de dermocosmético superusado em tratamentos que envolvem desde a eliminação de cravos e espinhas até a redução de linhas de expressão e manchas merece destaque: os ácidos. O fato é que mesmo os AHA e BHA podem fazer mal à pele durante o verão, caso usados inadequadamente.

Com a aproximação do verão fica a pergunta: é possível usar ácidos na estação mais quente do ano? Por incrível que pareça, a resposta é sim. No entanto, vamos revelar quais ácidos são liberados nesse período e quais os cuidados que se deve ter para usá-los no verão.

Mas afinal, o que são ácidos?

Os ácidos são uma das substâncias mais prescritas pelos dermatologistas por conta da sua vasta gama de benefícios que englobam hidratação, clareamento, melhora da luminosidade e, principalmente, da textura da pele por meio de uma certa esfoliação que acontece de dentro para fora.

Cada ácido tem um benefício mais latente, só que, de modo geral, todos eles conseguem trazer uma melhora significativa na textura, cor e aparência da nossa pele.

Vale lembrar que os ácidos se distinguem entre AHA e BHA, isto é, alfa-hidroxiácido e beta-hidroxiácido. O primeiro é caracterizado por ser solúvel em água, sendo indicado principalmente para quem tem pele normal e seca ou com manchas; enquanto o segundo é solúvel em óleo e serve para pele acneica e com poros mais dilatados.

Entre os alfa-hidroxiácidos estão os ácidos glicólico, lático, kójico e mandélico, enquanto o ácido salicílico é o principal representante da classe dos beta-hidroxiácidos.

Usando ácidos no verão

A questão central aqui é que, por ajudarem nesse processo de renovação da pele por meio dessa esfoliação química, os ácidos podem, sim, causar manchas e irritações em períodos de maior incidência solar, como é o caso do verão.

Portanto, ácidos como glicólico, mandélico, retinoico e salicílico devem ser suspensos ou usados em uma quantidade inferior àquela usada habitualmente — sempre, é claro, com a prescrição de um médico dermatologista.

Caso você precise manter o uso de algum desses ácidos, o segredo é manter seu uso no período da noite, ao dormir, e redobrar o uso do protetor solar (que deve ser reaplicado ao longo do dia).

A boa notícia é que existem alguns ácidos que podem ser usados com maior segurança mesmo no verão. Confira a seguir!

Ácido ascórbico

Apesar do nome diferente, o ácido ascórbico é superpresente em vários dermocosméticos com seu nome popular: vitamina C. Pela sua forte ação antioxidante, esse ácido ajuda a conter a ação dos radicais livres, incentiva a produção de colágeno e ainda auxilia na proteção da pele contra a radiação solar.

Ácido azelaico

Proveniente do trigo, o ácido azelaico tem função tanto de clarear como de regular a oleosidade da pele. Por isso mesmo, é uma opção para quem sofre com problemas como melasma (já que clareia a pele) e acne (ajuda a diminuir os poros e tem efeito secativo contra as espinhas), podendo ser usado sem problemas por gestantes.

Ácido ferúlico

O ácido ferúlico é outro poderoso antioxidante, pois viabiliza o hidrogênio necessário para neutralizar a ação dos radicais livres. É usado, inclusive, na fórmula de protetores solares para prevenir a ação dos raios ultravioleta do sol, sendo usado amplamente no Japão exatamente com essa função. 

Ácido hialurônico

Cada vez mais o ácido hialurônico tem se tornado presente na composição de diversos dermocosméticos com a promessa real de manter sua pele renovada e muito mais bonita. Isso graças ao seu poder hidratante e de preenchimento de rugas e linhas de expressão.

Ácido kójico

O ácido kójico é um tipo de ácido que pode ser usado tanto no verão quanto por gestantes. Sua ação é semelhante ao azelaico, já que inibe a tirosinase (enzima relacionada à produção de pigmento), ajudando a diminuir manchas de melasma e melanina (frequentes em mulheres grávidas).

Ácido maslínico

Este vigoroso antioxidante, oriundo da moagem de azeitonas, ajuda a amenizar o avermelhado comum em peles irritadas — a exemplo da exposição excessiva ao sol. A pele também fica mais macia graças à ação hidratante do ácido maslínico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.