Como funciona a homeopatia

A homeopatia é uma prática médica que ainda é envolvida em muito preconceito e mistério, mesmo nos dias de hoje e apesar do avanço na divulgação científica. Dessa maneira, o objetivo desse artigo é apresentar as principais características da homeopatia e fazer com que as pessoas entendam o que ela é, como ela atua e em que essa prática pode ser usada. Aproveite este conteúdo feito pelos especialistas da Boiron sob medida em parceria com o nosso site.

O que é a homeopatia?

A ciência homeopática é uma prática médica que já existe há mais de dois bicentenários. Com ela, os chamados médicos homeopáticos podem aplicar uma via terapêutica multi contemplativa (ou seja, que analisa os vários aspectos de uma enfermidade, não apenas a os sintomas em si) para tratar diversas doenças e distúrbios humanos, pragas em plantações, problemas com animais, entre outras coisas.

 

De forma resumida, a homeopatia atua através de quatro princípios fundamentais que regem toda a prática médica dessa modalidade de ciência: experimentação em pessoas sadias, medicamento único, lei dos semelhantes e doses infinitesimais. Através dessa base, essa prática atua analisando os estímulos de energia que um ser vivo emite e tenta levá-la para o equilíbrio.

 

Para explicar melhor, podemos definir que:

 

  • Lei dos semelhantes: diz que, se uma substância é capaz de causar doença, em outras doses ela também pode curar. Um exemplo disso é o veneno de cobra sendo usado para produzir o soro.
  • Experimentação em pessoas sadias: os testes para a produção de remédios considerados homeopáticos devem ser feitos em pessoas saudáveis e não em animais, que é para saber a partir de que dose o remédio torna-se veneno.
  • Doses infinitesimais: os remédios homeopáticos são muito diluídos antes de serem administrados para algum paciente.
  • Medicamento único: não deve ser passado coquetéis de remédios, mas um único que sirva para todos os sintomas.

Qual é a diferença entre alopatia e homeopatia?

A alopatia é a ciência tradicional pela qual a medicina costuma tratar doenças dando enfoque à cura de seus sintomas, ou seja, se você está com gripe e procura um médico alopático, vai receber a receita de um remédio que trate a febre, a dor de cabeça e o nariz escorrendo. Já a homeopatia é a prática que possui enfoque no ser vivo e, sendo assim, trataria essa gripe procurando aumentar a imunidade da pessoa, melhorar a energia e a qualidade de vida dela, entre outras coisas.

Para que é usada a homeopatia?

Como dito anteriormente, a homeopatia é usada para tratar enfermidades em seus diversos níveis, não apenas tratando os sintomas. Dessa forma, a filosofia por trás da especialidade do médico homeopata é a de proporcionar para o paciente um maior equilíbrio energético, de pregar a necessidade de restaurar as fases anteriores à doença, estimular o sistema imunológico, atuar na prevenção de enfermidades e curar.

 

Na prática, essa ciência usa produtos naturais e mais leves (com menos compostos químicos fortes), massagens, mudança na qualidade de vida, concentração e várias outras coisas para promover a cura. Sendo assim, ela é indicada para pessoas que sofrem de problemas gástricos, intestinais, alergias, problemas respiratórios, dermatológicos, entre outros problemas.

Como a homeopatia é usada na prática?

Na prática, a homeopatia pode ser usada de diversas formas, entre elas:

  • Nanopartículas: o medicamento usado no tratamento homeopático é diluído em proporções que podem ser de, por exemplo, 1:1000 (1 parte de solvente: 1000 partes de remédio) e, sendo assim, é considerado uma tecnologia nano. 
  • Homeopatia na agricultura: no que diz respeito à agricultura, a homeopatia pode atuar em diversas áreas. Se for na parte de controle de doenças, a homeopatia pode ser usada para estimular a imunidade da planta, aumentar a resistência dela a pragas, diminuir o uso de agrotóxicos e coisas semelhantes. Já no que diz respeito a produtividade, a homeopatia também pode atuar na vida do trabalhador rural para que ele aumente sua produtividade.
  • Homeopatia na medicina veterinária: esse tipo de prática na veterinária é muito importante especialmente no que diz respeito ao tratamento de enfermidades em gado de corte. Isso porque o medicamento homeopático, por ser bastante diluído em solvente, não deixa traços na carne do boi, mesmo que o animal seja tratado com algum medicamento que não é bom para o ser humano. Além disso, essa prática atua diminuindo o estresse de animais que vivem, por exemplo, em apartamentos, em currais apertados, entre outras coisas.
  • Homeopatia na odontologia: no que diz respeito à odontologia, a homeopatia atua na prevenção, especialmente em pacientes que têm medo de dentista. Dessa forma, o tratamento homeopático pode aumentar a assiduidade de quem tem odontofobia e os remédios homeopáticos, por exemplo, podem atuar no tratamento de gengivites, dores de dente e ainda conseguem ajudar na formação de cicatrizes.
  • Homeopatia na pediatria: especialmente na infância, a homeopatia é de extrema importância. Isso porque essa ciência atua influenciando que a criança desenvolva um sistema imunológico forte, uma conexão energética com o mundo forte, entre outras coisas. Dessa maneira, proporciona que a criança consiga chegar até a vida adulta como um ser humano saudável em todos os aspectos (mental, físico e social).
  • Homeopatia na psicologia: especialmente em tratamentos para transtorno de ansiedade, a homeopatia pode atuar de forma brilhante. Isso porque, como dito anteriormente, a homeopatia não cura os sintomas, mas enxerga o indivíduo como um todo, tentando, assim, conectá-lo com sua energia interna, com o seu redor, entre outras coisas. Além disso, o tratamento homeopático é barato e, sendo assim, de fácil acesso para a população.
  • Homeopatia na farmácia: apesar de ser uma prática polêmica, tendo em vista que muitos cientistas argumentam que remédios que são muito diluídos não possuem quantidades o suficiente de princípio ativo para fazer efeito, a alopatia argumenta que o uso dessa prática ativa propriedades quânticas que fazem com que esse remédio atue de maneira mais certeira onde precisa ser usado, fazendo com que mesmo essas doses menores sejam capazes de curar. Para fazer esses fármacos, inclusive, os cientistas alopáticos utilizam de substâncias tóxicas e venenosas que, em pequenas quantidades, não são capazes de fazer mal ao ser vivo.

A homeopatia é uma prática séria? 

Apesar do preconceito e da falta de informação sobre o assunto, a homeopatia é, sim, uma área científica bastante séria e inclusive é regulamentada por diversos órgãos competentes. Por exemplo, o Conselho Federal de Medicina já reconhece essa prática como sendo uma especialidade válida e o Conselho Federal de Farmácia também reconhece essa prática como sendo válida.

Qual é a diferença entre remédio homeopático e placebo?

Em termos gerais, o placebo é uma substância que os cientistas sabem que não possui propriedades curativas. Essas substâncias são usadas para diversos fins, entre eles, criar um grupo controle para teste de medicamentos (para saber se o remédio que está sendo testado realmente faz efeito ou se são influências externas que curaram os pacientes), avaliar os impactos da mente na cura de doenças, entre outras coisas.

 

Já no que diz respeito aos remédios homeopáticos, eles são substâncias que possuem propriedades curativas comprovadas, que normalmente já são usadas pela medicina tradicional, mas que são diluídas infinitamente em algum solvente (seja ele álcool ou água) para que sejam ativadas as propriedades curativas da substância. Nesse contexto, fica claro que placebo e homeopático são duas coisas totalmente diferentes.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *