Como fazer a gestão de conflitos no trabalho (na sua empresa)

Como fazer a gestão de conflitos no trabalho (na sua empresa)

Um bom relacionamento no ambiente de trabalho é importante para que as atividades aconteçam com qualidade. Para ter harmonia no ambiente interno, os gestores e líderes precisam realizar uma gestão de conflitos eficiente, visando reduzir os atritos que podem acontecer.

 

O grande objetivo de qualquer gestor é ter uma equipe de colaboradores que consigam trabalhar em perfeita harmonia, promovendo um espaço saudável para todos. 

 

Contudo, a realidade pode ser diferente, com alguns conflitos que exigem uma postura firme dos gestores.

 

Nesta situação, aplicar uma boa gestão de conflitos é imprescindível para conseguir solucionar os problemas, trazendo mais harmonia ao ambiente – melhorando o clima – e promovendo debates que ajudem o negócio a evoluir, agregando novos insights.

 

Isso acontece, porque uma empresa é formada por pessoas com diferentes personalidades, culturas, opiniões e visões, o que pode gerar desentendimentos quanto aos pontos de vista e ideias expostas.

 

Diante disso, os gestores e líderes precisam se posicionar e ter a capacidade de conduzir as situações e os colegas pelo mesmo caminho, ainda que não compartilhem da mesma ideia.

 

O processo de gerenciamento de conflitos é muito importante e pode ser aplicado em diferentes áreas, seja em um negócio de empréstimos consignados ou em grandes empresas.

 

Conflitos não resolvidos podem se transformar em grandes problemas que afetam a produtividade, criando barreiras à cooperação e colaboração dos funcionários, além do sufocamento da criatividade.

 

Os profissionais com uma boa capacidade para resolver conflitos no trabalho em equipe conseguem, inclusive, melhorar a retenção de talentos. 

 

Já gestores que não conseguem lidar com a resolução de conflitos acabam vendo os seus melhores colaboradores deixarem a empresa em busca de um ambiente de trabalho mais saudável.

O que é a gestão de conflitos?

Antes de entender o conceito de gerenciamento de conflitos, é necessário saber o porquê esses conflitos acontecem. 

 

Os problemas entre líderes e liderados, ou mesmo entre pares e colegas de diferentes equipe costumam ser os principais fatores de desentendimento.

 

As dificuldades e falhas de comunicação podem dificultar a chegar em um consenso sobre um tema específico e este detalhe pode se transformar em uma grande barreira no convívio diário.

 

Quando há a dificuldade das pessoas em ceder ou reconhecerem seus equívocos, é preciso uma interferência para que a questão seja resolvida de modo que afete o mínimo possível a empresa.

 

Sendo assim, a gestão de conflitos consiste na intervenção desses acontecimentos, visando promover o equilíbrio nas relações. 

 

Para evitar problemas de clima, que impactam nos negócios, os gestores podem ter ajuda do RH (Recursos Humanos) precisando encontrar técnicas eficientes para realinhar os objetivos da empresa com as necessidades dos colaboradores, motivando-os adequadamente e estabelecendo uma comunicação efetiva.

 

Diferentes pessoas, cada uma com suas formações, quando chegam em uma empresa de climatizadores evaporativos tentam se adaptar a cultura organizacional preexistente. 

 

No entanto, com o passar do tempo, alguns fatores e interesses podem se transformar em um ponto de conflito.

 

Alguns fatores que podem contribuir para a geração de conflitos são:

 

  • Mudanças bruscas na rotina de trabalho;
  • Metas inalcançáveis;
  • Falta de comunicação eficiente;
  • Hierarquia verticalizada;
  • Ausência de feedbacks;
  • Competitividade negativa;
  • Cultura organizacional sem clareza;
  • Irregularidade nos processos.

 

Estes são apenas alguns exemplos de questões que podem gerar problemas que necessitam de uma boa gestão.

 

O principal objetivo da gestão de conflitos é comandar as situações de relacionamento da melhor maneira possível, ou seja, o foco é ser uma ponte eficiente entre a comunicação da empresa e os colaboradores envolvidos.

 

Um diálogo simples e objetivo pode transformar positivamente a rotina de trabalho, melhorando não apenas as relações, mas também a produção de brindes personalizados.

Como fazer gestão de conflitos com eficiência nas empresas?

Para o sucesso da gestão de conflitos, os profissionais precisam pensar sempre em quatro princípios importantes: 

 

  • Apuração;
  • Acompanhamento;
  • Negociação;
  • Resolução.

 

Essas etapas mostram a melhor solução e ações que podem ser incorporadas para melhorar o ambiente e as relações.

 

A partir da identificação e compreensão dos problemas é possível incluir os colaboradores nas rotinas e discussões de forma mais estratégica, bem como atuar nos fatores que causaram os conflitos. 

 

Para isso, seguir algumas dicas práticas – focando na resolução – permite executar uma boa gestão de conflitos e fazer deste um grande trunfo da sua empresa. Nesse sentido, uma boa gestão dos conflitos demanda:

  1. Identificar as origens dos conflitos

Em um ambiente muito conflituoso, geralmente, é fácil perceber que algo está errado. Funcionários que mal se falam, projetos em atraso, processos pendentes e a produtividade de brindes personalizados afetada são alguns fatores que podem indicar conflitos.

 

Antes de propor soluções, é essencial que os gestores identifiquem os reais problemas, de modo a encontrar soluções práticas. 

 

Do mesmo modo, é preciso identificar como surgiu esse problema e há quanto tempo estão interferindo na qualidade do trabalho.  Com isso, será possível entender melhor os principais envolvidos nos conflitos e melhorar o clima.

 

Uma maneira de resolver é ouvir as partes envolvidas, entender todos os detalhes e pensar nos argumentos com calma. Posteriormente, é preciso identificar ações de dissolução sobre o que causou o problema.

  1. Negociar soluções práticas e reais

Ao saber a origem dos conflitos e quem são os envolvidos, é o momento de abrir espaço para o diálogo e negociações, dando oportunidade para todos pensarem sobre os erros e problemas.

 

Contudo, o problema pode se dar de forma mais generalizada. Nesse caso, atuações com a equipe e dinâmicas gerais podem ser mais interessantes para resgatar a integridade nas equipes – mesmo que não se aborde o conflito de forma direta, é preciso avaliar as situações e trazer melhorias.

 

Alguns colaboradores podem ser resistentes à ideia de reconhecer sua parcela de culpa nos conflitos, mas é muito importante insistir neste processo de conversa e ajuste dos processos e comunicação, incluindo pedidos de desculpas.

 

Não basta promover a gestão de conflitos através de negociações, se as pessoas não cumprem com o que foi combinado perante todos. 

 

É importante pensar que as pessoas são diferentes, com objetivos, pensamentos, valores e expectativas e para ter um ambiente saudável, os interesses devem se conectar pelas similaridades.

  1. Determinar prazos para solução dos conflitos

Os conflitos não podem se estender por muito tempo, pois se isto acontece, a produtividade de blocos intertravados e a harmonia no ambiente de trabalho ficam comprometidas. 

 

É essencial investigar e descobrir o mais rápido possível o que está afetando a produção e os relacionamentos.

 

Ao descobrir, é importante determinar um prazo para conseguir resolver todas as divergências presentes na empresa.

 

Do mesmo modo ocorre com os projetos, os envolvidos precisam ter participação e focar em cumprir as etapas que lhe foram distribuídas para promover a transformação do que há de negativo no ambiente de trabalho.

 

Nesta fase da gestão de conflitos, é muito importante que os gestores pensem e desenvolvam ações mais objetivas, mas sem desamparar os colaboradores. 

 

É importante pensar que o que pode ser simples e prático para uma pessoa, pode significar um grande desafio que exige empatia e paciência por um bom tempo.

  1. Criar uma equipe focada na gestão de conflitos

Um gerenciamento de conflitos exige muito mais do que conversar e sugestões de soluções eficientes. Dependendo do nível crítico da situação, os gestores terão que fazer um mapeamento e desenvolver ações que solucionem diversos tipos de conflitos.

 

Criar uma comissão envolvendo o time de RH e os líderes para ajudarem a montar alguns critérios de análise e observação. Com isso é possível coordenar e planejar ações para detectar os problemas e, assim, será mais fácil visualizar todas as questões.

 

Deste modo, de forma mais direta, algumas atividades importantes na gestão de conflitos são: 

 

  • Feedbacks;
  • Reformulação ou revisão das normas internas;
  • Avaliações de desempenho;
  • Pesquisas de satisfação;
  • Recrutamento e seleção com base na cultura da empresa.

 

Ou seja, é crucial ter um olhar atento desde o primeiro contato com os talentos e as dinâmicas do espaço, identificando processos que podem ser melhorados para tornar o clima mais produtivo e dinâmico, bem como de modo a promover o alinhamento entre áreas, pares e lideranças.

 

Essas atividades são válidas para diversas empresas, de diferentes áreas.

 

Afinal, seja uma empresa de portaria remota ou uma loja de eletrodomésticos focada em vendas no varejo, ter essa rede de apoio é essencial para tornar o processo de resolução dos conflitos mais simples, além de contribuir para a redução dos problemas e melhora de todo o ambiente.

Considerações finais

As lideranças têm um papel de grande relevância nas empresas, pois podem apresentar habilidades que ajudam a conciliar e minimizar os conflitos, por exemplo:

 

  • Motivar e incentivar os colaboradores;
  • Apresentar clareza nos feedbacks;
  • Demonstrar comportamento otimista e postura segura;
  • Ser empático diante dos conflitos;
  • Capacidade de ouvir sempre os funcionários;
  • Trazer imparcialidade aos debates e conversas.

 

Estes são pontos positivos que podem ajudar muito em diversas situações, desde o processo de alugar sala comercial até nas demandas internas dos funcionários. Os soft skills contribuem não só com a redução de conflitos, mas em diversos aspectos da empresa.

 

As habilidades vindas dos líderes e gestores são importantes, mas há outras dicas que também podem ser interessantes para incorporar na empresa, tendo resultados ainda mais efetivos na gestão de conflitos, como definir comportamentos aceitáveis no ambiente de trabalho e uma cultura que vê o conflito como uma oportunidade de melhoria, fazendo com que todos estejam abertos ao diálogo.

 

As dicas, além de fazerem a diferença na resolução dos conflitos, podem melhorar consideravelmente as vendas de portas de madeira preços, bem como outros processos.

 

Portanto, manter o foco e pensar em estratégias inteligentes para a gestão de conflitos são formas da empresa ter um ambiente mais harmônico para todos, além de melhorar a produtividade e retenção de talentos.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.