Vale a pena investir na previdência privada dos grandes bancos?

Vale a pena investir na previdência privada dos grandes bancos?

Já começou a pensar sobre o seu futuro? Com a aposentadoria pública cada vez menos atrativa após a aprovação da Reforma da Previdência em 2019, a previdência privada virou uma boa opção para ter uma aposentadoria tranquila.

Os principais bancos do país sempre atraem muitos correntistas para aderir aos planos de previdência privada da instituição, mas será que realmente vale a pena? Aqui, vamos lhe mostrar quais são os fatores que você deve avaliar antes de aderir ao plano de previdência de um grande banco.

O que é previdência privada?

A previdência privada é uma espécie de renda complementar à aposentadoria pública. Com o endurecimento das regras para aposentadoria pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), a previdência privada se tornou uma maneira de complementar as perdas que os contribuintes atuais devem ter na hora de se aposentar no futuro.

Essa modalidade de investimentos é oferecida por seguradoras, corretoras, bancos e fintechs. Esse investimento é focado no longo prazo, a previdência é para aqueles que pensam no futuro, querem aportar valores ao longo do período de trabalho para se beneficiarem do montante acumulado quando se aposentarem.

Quais são os custos envolvidos nos planos de previdência privada?

Existem duas taxas principais cobradas na previdência privada, são elas: taxa de administração e taxa de carregamento. Confira como elas podem incidir na rentabilidade do seu investimento abaixo:

Taxa de administração

Todos os planos de previdência privada possuem taxa de administração. Ela é cobrada pela gestora do plano para garantir o gerenciamento do valor, realizando os investimentos acordados para potencializar a rentabilidade do montante acumulado no investimento.

Os planos mais conservadores, que investem a maior parte do seu investimento em ativos de renda fixa, costumam aplicar taxas de 1% ao ano. Assim, se você possui R$ 100 mil investidos, você pagará R$ 1 mil por ano ao banco. Da mesma forma, se a taxa for de 2%, você pagará R$ 2 mil por ano e assim por diante.

Em planos mais arrojados, alguns bancos cobram até 4% de taxa de administração. Por isso, é importante entender que um plano de previdência com taxa de administração muito alta não é uma boa opção para investir. Isso porque se você fizer as contas, você perceberá que está perdendo boa parte da sua rentabilidade futura com a cobrança desta taxa.

Taxa de carregamento

A taxa de carregamento pode ser cobrada em duas etapas: na entrada e na saída. Ou seja, você pode ser taxado a cada aporte realizado e também na hora do resgate do montante acumulado. Essa taxa tem a finalidade de cobrir os custos administrativos do banco com a aplicação.

Em relação a taxa de carregamento na entrada, existem instituições que possuem planos que não cobram essa taxa, o que é uma boa pedida para garantir o investimento total dos aportes realizados. Outros planos oferecem a isenção dessa taxa a partir de um prazo determinado no contrato.

Também existem planos que variam a cobrança dessa taxa, variando de acordo com os valores de cada aporte. Então, fique por dentro da variação dessas alíquotas.

A taxa de carregamento na entrada funciona da seguinte forma. Se você realizar um aporte de R$ 500 por mês e a taxa de carregamento for de 1%, R$ 5 serão destinados à instituição, já se for de 4%, esse valor aumenta para R$ 20, o que resulta em R$ 480 que serão realmente investidos pela instituição.

A taxa de carregamento de saída é uma cobrança feita na hora do resgate do investimento. Essa taxa pode variar de banco para banco e também pode depender do prazo para a retirada do momento, logo quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado menor será a taxa de carregamento na saída.

Assim, se você acumulou R$ 300 mil durante todo o período da aplicação, além da perda de rentabilidade por conta da incidência do imposto de renda, você também perderá R$ 1.500 de taxa de carregamento de saída.

Vale a pena investir em planos de previdência privada de grandes bancos?

Além de dominar a previdência privada em relação a tipos de planos e tabelas de tributação, é importantíssimo que você fique de olho nos custos envolvidos na operação. Os grandes bancos podem oferecer planos muito “vantajosos” que escondem por trás taxas absurdas que prejudicaram bastante a sua rentabilidade.

Não se iluda com planos que prometem alta rentabilidade. Os planos de previdência mais arrojados podem oferecer um excelente rendimento, mas as taxas de carregamento e administração podem tornar o investimento tão vantajoso.

Por isso, escolha o seu plano de previdência com bastante cuidado. Foque em garantir a maior rentabilidade possível no longo prazo. Estude detalhadamente o contrato, garante taxas razoáveis para poder planejar o futuro com mais tranquilidade, sem se surpreender com o baixo rendimento devido às taxas dos bancos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.