Tenho calculo renal, como posso tratar – Como funciona

Tenho calculo renal, como posso tratar – Como funciona

Cálculo renal: o que é, causas e como tratar

 

O que é?

  1. Teste
  2. sintomas
  3. tipos
  4. tem cura?
  5. Incapacita para o trabalho?

O cálculo renal, mais conhecido como pedra no rim, é uma massa sólida formada por pequenos fragmentos de minerais e sais, que pode formar-se nos rins ou em outros órgãos do sistema urinário.

Existem alguns remédios para dissolver cálculo renal que resolvem em muitos casos.

Se pode apresentar um ou mais cálculos ao mesmo tempo.

A presença de cálculo renal pode atingir até 10% da população, segundo pesquisas realizadas em alguns países.

Com índices tão elevados, a incidência de cálculo renal é uma considerável causa de afastamento de trabalhadores.

 

Quais são os sintomas?

Algumas pessoas podem ter cálculo renal sem que por isso apresentem sintomas. Geralmente, os sintomas surgem quando os cálculos saem dos rins e descem pelo ureter (canal que conduz a urina do rim para a bexiga). Quando isso ocorre, o paciente pode começar a apresentar alguns sintomas como:

  • Dor na região lombar, que pode manifestar-se como uma cólica chegando até uma dor intensa. Essa dor pode estender-se para o flanco, abdômen exterior e chegar até a região genital;
  • Náuseas e vômitos;
  • Aumento do desejo de urinar, sendo que muitas vezes o paciente vai ao banheiro, mas urina pequenas quantidades;
  • Ardência para urinar;

Casos mais avançados podem apresentar ainda:

  • Sangue na urina;
  • Em alguns poucos casos, pode haver desejo de evacuar, mas sem eliminação de fezes.

Como são diagnosticados?

O procedimento para confirmar a presença de cálculos renais é indicado por um médico, e geralmente constam de análises como:

  • Exame de sangue para avaliar os níveis de cálcio, ácido úrico, fósforo e eletrólitos;
  • Exame de função renal;
  • Exame de urina para identificação de presença de possíveis cristais e busca de glóbulos vermelhos na urina;
  • Análise do cálculo para determinar o tipo.

 

Quais são os tipos de cálculo renal?

Os cálculos renais são um dos problemas nos rins mais conhecidos popularmente. No entanto, nem todo mundo sabe que existem quatro tipos diferentes de cálculo renal.

 

1.    Cálculos de cálcio

É o tipo mais recorrente de cálculo renal, e sua ocorrência está geralmente relacionada à ingestão excessiva de sódio e de proteína de origem animal. Por outro lado, o baixo consumo de líquidos gera uma alta concentração de minerais no organismo e baixa eliminação pela urina.

 

Outras possíveis causas desse tipo de cálculo são distúrbios no metabolismo, dietas ricas em vitamina D e enfermidades no intestino delgado.

 

2.    Cálculos de cistina

O segundo tipo de cálculo renal de que falaremos são causados por fatores hereditários.

 

Os cálculos de cistina são causados pela cistinúria, uma doença renal hereditária. A cistinúria gera um excesso e baixa solubilidade do aminoácido cistina na urina, o que acarreta a formação dos cristais.

 

A prevenção para esse tipo de cálculos passa pela realização de exames de monitoramento e tratamento que visa evitar a formação e o crescimento de cristais. A hidratação elevada também é recomendada.

 

3.    Cálculos de estruvita

Os cálculos de estruvita são mais frequentes em mulheres. São causados por bactérias recorrentes de infecção urinária, e formados a partir de fosfato de amônio e magnésio.

 

Em alguns casos, a pessoa com esse tipo de cálculo pode ter que tomar antibióticos.

 

4.    Cálculos de ácido úrico

Enquanto os cálculos de estruvita ocorrem mais em mulheres, os cálculos de ácido úrico são mais frequentes em homens.

 

As principais causas desse tipo de cálculo são as dietas ricas em proteínas, obesidade e combinação de fatores genéticos.

 

A cerveja e as bebidas alcoólicas, em geral, possuem substâncias que provocam o aumento do ácido e podem ainda elevar os níveis no organismo.

 

A principal prevenção para os cálculos de ácido úrico passa pelo cultivo de uma vida saudável, que inclui uma alimentação balanceada e ingestão adequada de líquidos.

Existem fatores que aumentam o risco?

A resposta à pergunta é sim. Alguns fatores são considerados de risco para o surgimento de cálculo renal. Estes são alguns fatores:

 

  • Histórico familiar: há maiores chances de que pessoas com casos na família desenvolvam também cálculos renais.
  • Idade: pessoas com mais de 40 anos são mais propensas a desenvolver cálculo renal. Contudo, isso não significa que jovens estejam isentos da possibilidade de desenvolver o problema.
  • O surgimento de cálculo renal é mais comum em homens que em mulheres.
  • Pessoas com obesidade têm maior risco de desenvolver cálculos renais.
  • A presença de doenças como acidose, lesões renais tubulares, doenças no trato urinário e outras também podem representar um fator de risco.
  • O uso de alguns medicamentos também pode aumentar os riscos.

 

Há ainda alguns fatores de risco que estão diretamente relacionados a hábitos alimentares pouco saudáveis como:

 

  • Baixo consumo de água: o consumo insuficiente de água aumenta os riscos de desenvolver cálculos renais. Pessoas que vivem em regiões quentes ou que suam muito devem hidratar-se ainda mais.
  • Dietas ricas em proteínas, sódio ou açúcar também são fatores de risco. Quando uma pessoa consome muito sal, a quantidade de cálcio que os rins terão que filtrar aumenta; em consequência, aumenta o risco do surgimento de cálculos.

Quais são os tratamentos mais comuns para cálculo renal?

O tratamento indicado para cálculo renal dependerá do tipo de cálculo e as dimensões dos cristais presentes nos rins ou no ureter.

 

Os principais tratamentos são:

 

  • Remédios para dissolver o Cálculo Renal
  • Cirurgia a laser;
  • “Bater” as pedras por ondas de choque;
  • Cirurgia com a realização de um pequeno corte nas costas do paciente;

 

1.    Remédios para Cálculo Renal

Temos inúmeros relatos de pessoas que utilizaram somente um remédio para cálculo renal e resolveram o seu problema, principalmente em casos mais leves.

2.    Cirurgia a laser

Nas cirurgias a laser, uma câmera é introduzida através da uretra e, após passar pela bexiga, chega ao rim. Após identificadas, as pedras são pulverizadas com uma fibra de laser. Depois da pulverização, os fragmentos são recolhidos em uma espécie de cesta.

 

As grandes vantagens desse tipo de procedimento é a taxa de sucesso que está entre 90 e 98%. Por outro lado, as taxas de complicações são consideravelmente baixas, ficando entre 1 e 4%.

 

Outro ponto positivo é o pós-operatório que é bastante rápido. Muitas vezes o paciente recebe alta no mesmo dia e pode retornar às suas atividades em cerca de uma semana.

 

3.    “Bater” as pedras

Embora soe estranho, essa modalidade de tratamento é feita basicamente “batendo” as pedras.

 

Na verdade, o nome do procedimento é Litotripsia extracorpórea por ondas de choque. Nele, o paciente é sedado e deitado em uma espécie de bolha. Logo, um raio-X ou um ultrassom localizam o cálculo, que logo é fragmentado com ondas de choque que atravessam o corpo e os rins.

 

Contudo, essa técnica não pode ser utilizada caso o paciente tenha cálculos maiores que 2 cm ou 1 cm, dependendo da localização. Em cálculos “duros” a técnica também pode não funcionar bem. Por último, esse procedimento tampouco é recomendado para pacientes obesos.

 

Nesse tratamento, o paciente pode ser liberado duas horas após o procedimento. No entanto, as taxas de sucesso são menores quando comparadas à cirurgia a laser.

 

4.    Cirurgia com pequeno corte

A cirurgia com pequeno corte é recomendada para eliminar pedras maiores de 15 mm. É feita através de um pequeno corte feito nas costas.

 

Pelo corte é introduzida uma câmera que chega até o rim. Depois, um dispositivo ultrassônico é inserido para fragmentar e aspirar os cálculos.

 

Nesse caso, o paciente fica internado entre dois e três dias. A recuperação total pode durar de duas semanas a um mês. Nesse período, o paciente deve evitar atividades intensas e possíveis impactos.

Conclusão

O cálculo renal é uma formação sólida de massa nos rins ou no canal urinário. Tem alta ocorrência, e é uma das causas de afastamento laboral.

 

O surgimento de cálculo renal geralmente está relacionado à alta ingestão de sódio e ao insuficiente consumo de água. Podendo ainda ser causado por fatores hereditários.

 

Em muitos casos, medicamentos auxiliam para dissolver o cálculo renal.

O tratamento para retirada pode também ser feito através de procedimento a laser, eletrochoque ou pequena cirurgia através da abertura de pequeno corte nas costas do paciente.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.