Como funciona o mercado de ações no Brasil?

Como funciona o mercado de ações no Brasil?

O mercado de ações oferece a oportunidade de investir nas maiores empresas do país a um custo bastante acessível

Os investidores mais antigos certamente se lembrarão das imagens dos pregões viva-voz que costumavam aparecer nos telejornais à noite sempre que uma notícia de impacto surgia no mercado, mostrando a correria e o estresse dos operadores com seus telefones em punho, anunciando aos gritos suas ofertas de compra e venda na bolsa de valores.

O avanço da tecnologia mudou essa realidade e, agora, através de um simples aplicativo de celular, qualquer pessoa pode investir em empresas inovadoras de capital aberto, a um custo extremamente acessível para diversificar suas fontes de renda com dividendos e obter valorização de capital.

Neste artigo, vamos explicar melhor como funciona o mercado de ações no Brasil e como você pode investir nas maiores empresas do país de forma simples e segura.

O que é o mercado de ações?

A expressão “mercado de ações” refere-se às bolsas de valores onde ações e outros produtos financeiros, como contratos futuros, opções, títulos públicos e fundos de investimento, são negociados publicamente, de acordo com regras estabelecidas.

No Brasil, as ações das maiores empresas do país são negociadas na B3, que surgiu da fusão entre a Bolsa de Valores de São Paulo e a Bolsa de Mercadorias e Futuros, em 2017.

A negociação pública dos ativos, com cotações em tempo real, faz com que o mercado de ações seja extremamente líquido e dinâmico, permitindo a execução de ordens de compra e venda com muita rapidez e praticidade aos preços vigentes no mercado.

A primeira bolsa de valores foi a London Stock Exchange, na Inglaterra, onde os operadores se reuniam em uma cafeteria para intercambiar seus papéis, em 1773.

Esse tipo de mercado possui um ambiente de negociação regulado e controlado, com regras bem estabelecidas. O órgão responsável por supervisionar a bolsa de valores brasileira e as ofertas públicas de investimento é a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Como funciona a bolsa de valores?

O objetivo da bolsa de valores é permitir que as empresas possam captar recursos para investir em sua operação através da emissão de ações, um título que confere ao seu titular o direito de participar dos resultados da companhia e também votar na assembleia de acionistas, dependendo do tipo de ação.

Assim, existem basicamente dois mercados acessíveis ao investidor: o primário e o secundário. As ofertas primárias de ações são o momento em que uma empresa abre seu capital, e os recursos levantados pela emissão vão direto para o seu caixa. Esse tipo de operação é também conhecido como Initial Public Offering (IPO), ou oferta inicial de ações. Já no mercado secundário, os papéis são livremente trocados de mão entre os investidores aos preços vigentes, sem entrada de recursos no caixa da empresa.

Que tipos de ações existem?

Existem basicamente dois tipos de ações: as ordinárias e as preferenciais. As ações ordinárias, além de receber dividendos, têm como diferencial o direito de votar nas assembleias de acionistas e tomar decisões em relação a determinados aspectos da direção das empresas, além de contar com instrumentos de proteção, em caso de mudança no controle das companhias. As ações preferenciais, por sua vez, não possuem direito de voto em assembleias nem proteção em caso de mudança no controle da companhia, mas têm preferência na distribuição de alguns pagamentos, inclusive no caso de falência e liquidação dos ativos da empresa.

Como investir em ações?

Para começar a investir em ações é muito fácil. Basta abrir uma conta em uma corretora licenciada e, através do home broker, você já pode enviar suas ordens de compra e venda para os ativos do seu interesse.

É preciso lembrar, no entanto, que as ações são consideradas um investimento de risco, já que não há qualquer garantia de resultado, por isso são chamadas de renda variável. Escolher o momento certo para entrar no mercado é fundamental para obter melhores resultados, e isso exige muito estudo e capacitação.

Para os investidores iniciantes, uma excelente opção para ter exposição às melhores empresas do mercado são os chamados fundos de índice. Através deles, o investidor consegue aplicar em uma ampla gama de papéis através de um único investimento, e o rebalanceamento da carteira é feito pelos próprios gestores do fundo, segundo os critérios do índice em questão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.