Sinais que suas finanças não andam bem

Veja como detectar problemas com seu dinheiro e saiba como resolvê-los

Todo início de mês é o mesmo problema: você sabe que a conta do orçamento não vai fechar. E para piorar, as contas do mês que vem já ocupam todo o seu orçamento. Não sobra dinheiro sequer para um gasto extra, muito menos para investir.

Se este é o seu problema, então talvez você esteja precisando organizar as finanças e se preparar melhor para eventuais imprevistos. Os sinais de desorganização com as contas são enormes, mas muitas vezes passam despercebidos até por você mesmo.

Por exemplo, 64,1% dos brasileiros dizem que nunca ou raramente sobra algum dinheiro no fim do mês e 54% admitem que não conseguem aproveitar a vida devido à forma como administram seu dinheiro. Mas, o que será que impede essas pessoas de ter uma vida financeira mais equilibrada?

No texto de hoje veja quais são os principais sinais de que você precisa criar ou melhorar seu orçamento, ter mais controle do seu dinheiro e não deixar passar nenhum gasto.

Comparar gasto com investimento

Sim, há muitas pessoas que não sabem a diferença entre gasto e investimento. Por isso que frases como “viajar não é um gasto, é um investimento” viraram um mantra de vários influenciadores. Mas, lamento dizer, há diferenças entre ambos.

Quando você gasta, aquele dinheiro jamais volta para você, não importa qual o tipo de gasto que seja. A viagem pode ter sido linda e culturalmente enriquecedora, mas o dinheiro que você gastou lá não está mais na sua mão. Você não tem controle sobre ele.

Já com o investimento acontece o contrário: o dinheiro que você investe não apenas permanece na sua mão, como também passa a trabalhar para você através dos juros compostos. Dessa forma, o dinheiro investido gera mais dinheiro. Gastos consomem e acabam com o dinheiro; investimentos multiplicam-no.

Se enrolar com parcelamentos

Parcelar uma compra virou um hábito cultural no Brasil, sobretudo por causa do chamado “parcelamento sem juros”. Quem nunca comprou um bem de R$ 200 porque pensou: “a parcela de R$ 20 por mês cabe no meu bolso”.

No entanto, a compra parcelada não reduz o valor de suas despesas e, de fato, pode causar uma grande desorganização. Se você parcela todas as compras indiscriminadamente, pode acabar o mês tendo que gastar a maior parte do seu salário apenas para pagar contas feitas no passado.

Por isso tenha cuidado e mantenha sempre um registro de todas as suas compras parceladas, bem como do montante da soma de cada parcela. Caso o valor ultrapasse 30% de sua renda, é melhor evitar fazer novas compras.

Não ter uma planilha financeira

Falando em controle, a maior parte dos excessos cometidos com dinheiro é justamente por causa da falta de controle sobre as finanças. Você sabe definir os gastos que cabem no seu salário? Todo mês são feitas despesas com as seguintes compras:

  • aluguel;
  • alimentação;
  • transporte;
  • lazer;
  • cuidados pessoais;
  • plano de saúde;
  • e por aí vai.

Se você não sabe, então está na hora de controlar melhor o seu orçamento. Esse controle pode ser feito com um aplicativo de celular, uma planilha ou até mesmo um caderno de notas, mas você não deve ignorá-lo. Tão importante quanto saber quanto você ganha é saber quanto você gasta.

Cartão de crédito estourado

Quando bem utilizado, o cartão de crédito é uma ferramenta valiosa para ajudar a conseguir mais controle financeiro. Se, por outro lado, você se descontrolar no uso, então ele se torna um inimigo mortal das suas finanças.

Em primeiro lugar, a maioria dos cartões de crédito oferecem um limite muito maior do que a renda pessoal, o que faz a pessoa imaginar que tem um poder de compra que não existe. Nas mãos de quem não tem controle financeiro, esta armadilha é muito perigosa. 

O cartão também possui altos juros para atrasos na fatura, que são cobrados de forma composta. Ou seja, juros se acumulam em cima de juros, fazendo uma dívida crescer a níveis exponenciais. Por isso, controle o seu cartão e evite pagar menos do que o valor total da fatura.

Não saber investir

Por fim, investir é tão importante quanto gastar, mas a maioria dos brasileiros não sabe fazer nenhum dos dois. Um exemplo dessa falta de educação financeira é o fato dos brasileiros guardarem R$ 1 trilhão na poupança, uma das piores aplicações do mercado.

Conheça produtos de renda fixa, investimentos tão seguros quanto a poupança, mas que pagam rendimentos muito maiores. Aprenda sobre taxas de juros e saiba como investir o seu dinheiro com mais segurança e menos risco de perdas.

Com essas dicas, você conseguirá tanto equilibrar a sua vida financeira quanto aprender a investir melhor e depender menos de uma fonte de renda única.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.