Cytotec: o que é e porque o uso para aborto é proibido

Cytotec: o que é e porque o uso para aborto é proibido

Saiba para que serve o medicamento, seus riscos e como procurar a consideração clínica em caso de emaranhados

O que é Cytotec?

O Cytotec é um medicamento que tem em sua associação o Misoprostol, uma substância projetada, a metil prostaglandina básica (partículas que se organizam para se ligar a um receptor de prostaglandina).

Apesar de ser feito para tratar doenças gastrointestinais, o medicamento é usado para realizar evacuações ilegais de bebês hoje.

“O medicamento foi aprovado pela FDA (Food and Drug Administration) durante a década de 1980 para o tratamento de problemas estomacais (como gastrite e úlcera).

Nessa linha, sua utilização se restringia a doenças qualificadas”, diz Cláudia Serafim Giaccio, ginecologista e obstetra do Hospital Santa Catarina.

Como o Cytotec funciona?

Cytotec, quando coordenado ao corpo, é imediatamente retido e transformado em uma substância normalmente poderosa cujo centro primário é realizado em um curto período de tempo, caindo fortemente em cerca de duas horas quando controlado por via oral e, surpreendentemente, mais vagaroso quando administrado por via vaginal.

“A atividade do Cytotec é fornecida por uma substância chamada prostaglandina, que está ligada ao fluxo destrutivo do suco gástrico.

Isso acelera as excursões gastrointestinais – expectativa de correr e enjôo/vômito -, além de desenrolar e crescer o colo do útero, o que aumenta a contratilidade uterina dinâmica, que pode estimular a evacuação do bebê ou auxiliar na inscrição para o trabalho”, diz Cláudio .

Medidas, tipos de associação e termos de finalidade devem ser demonstrados para cada caso, bem como prontos para serem estabelecidos em um ambiente clínico, sob mostras estabelecidas e controle clínico severo.

Conforme indicado pela Anvisa, qualquer proposta de solução em vista da substância misoprostol está limitada ao fundamento de instalações clínicas devidamente licenciadas e asseguradas.

Além disso, a Anvisa explica que especialistas de todos os estados brasileiros pesquisam destinos que vendem o medicamento de forma inadequada.

Medicamentos que os pobres veiculados pela associação não podem ser adiantados em nosso espaço, sejam eles veiculados ou não através de várias fundações em vários países, como a FBA nos Estados Unidos.

Riscos de usar o Cytotec

Os principais emaranhados que um indivíduo pode ter ao utilizar Cytotec são:

  • Doença e regurgitação
  • Tormento estomacal
  • Afrouxamento das entranhas
  • Arritmia cardíaca
  • Tremores e calafrios
  • Atordoamento
  • Hiperestimulação uterina
  • Hipertermia
  • Sonolência.

Dependendo da hora da gravidez, supondo que ela esteja mais desenvolvida, pode ocorrer ruptura uterina, drenagem vaginal e, surpreendentemente, insuficiência cardíaca.

Em busca de atendimento clínico

Caso a senhora tenha alguma dessas confusões e tenha utilizado a medicação sem controle clínico, procurar ajuda em um hospital é fundamental.

“Ao aparecer, é fundamental esclarecer os serviços médicos competentes que você utilizou esta substância para que as sequelas possam ser tratadas adequadamente. Se a gravidez progride, há uma aposta mais séria de toxemia e embolia líquida amniótica, por exemplo “, adverte. Cláudio Basbaum.

Da mesma forma, é básico esclarecer o especialista do centro de trauma. No caso de você estar preocupado com a exposição de seu conjunto de experiências, tenha confiança, pois há mistério proficiente que salvaguarda a conexão entre especialista e paciente.

“É tabu ao médico: Art. 73. Descobrir uma realidade que conhece pela eticidade da atividade de sua vocação, ressalvada a simples razão, obrigação legítima ou assentimento composto do paciente”, avalia Cláudia Serafim Giaccio .

Desta forma, o sigilo permanece assegurado:

  1. a) independentemente de a veracidade do assunto ser informação pública ou o paciente ter repassado.
  2. b) ao prestar declaração como observador. Para esta situação, o especialista se apresentará diante do poder e anunciará seu impedimento.
  3. c) no exame do delito de pensamento, o especialista será impedido de desvendar um mistério que possa abrir o paciente a procedimentos criminais.

Remoção de fetos no Brasil: o que diz a lei

A partir de agora, o Código Penal Brasileiro não rechaça a retirada do feto em apenas duas condições: a suposta interrupção precoce essencial, quando não poderia haver método alternativo para salvar a vida da gestante, ou quando a gravidez é consequência de agressão. Conforme escolhido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2012, no julgamento da ADPF 54, também é permitida a interrupção precoce, com auxílio clínico, caso seja comprovado que o embrião apresenta anencefalia.

Embora seja uma prática antiga e bem conhecida, a remoção do feto não é assunto. No Brasil, a forma como a rescisão antecipada dolosa é vista como um delito leva muitas mulheres a buscarem formas ilícitas de fazê-lo, o que pode trazer perigos reais tanto para a gestante quanto para o bebê.

Em 2016, o Ministério da Saúde chegou a divulgar informações que mostravam que um normal de quatro senhoras passava no dia a dia por causa de confusões na retirada do feto.

Na web, é possível encontrar alguns destinos que mostram métodos – ainda que ilegais – para ajudar na rescisão antecipada de residência. Entre as estratégias mais procuradas está a utilização do medicamento Cytotec.

“Eu gostaria de agradecer por sua autenticidade, eu usei e tudo acabou funcionando e estou excepcionalmente feliz agora, o sistema foi suave” e “Estou amamentando, posso aceitar em algum momento?” – estas são apenas duas mensagens entre as inúmeras que podem ser rastreadas no site “remoção de feto Cytotec” que vende o item ilegalmente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.